Próximos Eventos

“Vigilantes da Natureza por um dia” - Tróia: um sistema em crescimento

Ao contrário de quase toda a costa portuguesa, o litoral de Tróia tem vindo a crescer e a avançar em direção ao mar...





25 de Novembro | 8h às 14h30 | Tróia

Ao contrário de quase toda a costa portuguesa, o litoral de Tróia tem vindo a crescer e a avançar em direção ao mar.

Isto deve-se às condições especiais geradas pela “sombra” da serra da Arrábida, desde Setúbal até ao cabo Espichel, que protege Tróia dos ventos e da agitação marítima dominantes, de noroeste. A ondulação vinda do largo é atenuada e rodada pela presença do cabo Espichel e vai incidir quase perpendicularmente na linha de costa do arco que, ao longo de mais de 60 km, se estende entre Tróia e Sines. Daí que, a partir de um ponto que se situará entre Melides e Pinheiro da Cruz, a deriva litoral – a corrente ao longo da costa resultante do embate da ondulação – se divida, dirigindo-se para norte, desde aí até Tróia.
Por outro lado, o estuário do Sado e as fortes correntes de maré na sua embocadura impedem que a restinga de Tróia se ligue à margem norte e dão origem ao enorme delta de maré do Sado: o banco do Cambalhão, bem visível das praias de Tróia à maré baixa.
Depois, é o vento a fazer voar a parte mais fina da areia depositada na praia em direção às dunas, tanto os ventos dominantes, de norte e noroeste, como os temporais de oeste, sudoeste e sul.
A partir daí, a colonização por plantas vai estabilizar e consolidar o campo dunar, numa sucessão que vai desde o feno-das-areias, até aos pinheiros-mansos, passando, p. ex., pela eruca-marítima, o cardo-marítimo, o estorno, o goiveiro-da-praia ou a perpétua-das-areias.
O resultado tem sido um crescimento da praia e das dunas tão rápido, que seremos surpreendidos ao perceber onde o mar estava há menos de 50 anos!
Primeiro ao longo da praia e, depois, de regresso pelo passadiço, veremos como a linha de costa foi avançando e as dunas foram crescendo ao longo do tempo, dando origem a esta paisagem, simultaneamente frágil e sensível, e que precisa da ajuda de todos para se manter.

E é afinal, tão simples: basta atravessar as dunas apenas pelos passadiços... e nunca deixar lixo!


Percurso guiado por
Francisco Andrade
MARE – Marine and Environmental Sciences Centre Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Destinatários: público-geral

NOTA: esta ação pode ser acreditada, para os docentes que nela participem, como ação de curta duração pelo Centro de Formação da LPN.

Local de partida e chegada (em autocarro (vagas limitadas): 
Partida / Sede da LPN: 8H00
Chegada a Lisboa / Sede da LPN (previsão): 14H30

Sede da LPN - Estrada do Calhariz de Benfica 187, 1500-124 Lisboa. Mapa. Coordenadas GPS: Latitude - 38º44'33.70''N; Longitude -  9º12'00.22''W

NOTA: A viagem será feita de Ferry (Setúbal/Tróia/Setúbal), segundo os horários dos Ferries (Setúbal-Tróia: 9h30 e Tróia-Setúbal: 13h00), no entanto caso surja algum imprevisto a viagem sofrerá um atraso de 1 hora, uma vez que o horário dos ferries são de hora a hora.

Inscrições GRATUITAS E OBRIGATÓRIAS, até 23 de novembro
Enviar nome e data de nascimento para geral@lpn.pt ou ligue para 217780097

Observações: Aconselha-se calçado apropriado para caminhar sobre a areia de praia e proteção para o vento e para o sol. Não esquecer água e algo para podermos saciar algum apetite que o ar do mar possa despertar.



Apoio: