Notícias

LPN assume presidência da Direção do FSC Portugal para o triénio 2017-2020

A Associação para uma Gestão Florestal Responsável - FSC Portugal, é a entidade que, em Portugal, representa o FSC - Forest Stewardship Council, uma organização sem fins lucrativos, de âmbito internacional, dedicada à promoção de uma gestão florestal responsável em todo o mundo.




No dia 30 de março a LPN assumiu a presidência para o triénio 2017-2020 da Direção da Associação para uma Gestão Florestal Responsável (FSC Portugal), a entidade que, em Portugal, representa o FSC - Forest Stewardship Council, uma organização sem fins lucrativos, de âmbito internacional, dedicada à promoção de uma gestão florestal responsável em todo o mundo.

Neste triénio que agora se inicia, pretende-se dar continuidade ao bom trabalho exercido pelos corpos sociais nos mandatos anteriores, assegurando um enfoque na manutenção de uma base normativa sólida e adequada ao contexto nacional, mas estendendo as áreas de intervenção aos temas de Desenvolvimento de mercado e à comunicação com a Sociedade Civil. Mantém-se ainda a ambição de estreitar o relacionamento com o FSC Internacional, principalmente nos temas mais críticos para Portugal – revisão do sistema FSC ao contexto dos pequenos proprietários e avaliação do impacto ambiental e social do FSC nos espaços florestais.


"Correspondendo a uma salutar prática do FSC Portugal, o próximo triénio de gestão da Associação será presidido por um dos seus membros da Câmara Ambiental. A LPN, desde o início associada da FSC Portugal, assumiu a liderança convicta da missão importante de promover uma gestão da floresta cada vez mais compatível com todos os seus valores, não apenas os diretamente produtivos mas também os valores de conservação, assim como os das boas práticas socais. A LPN fiel ao seu perfil de associação de conservação da natureza indissociada das atividades económicas e sociais, acredita poder dar um contributo relevante para que o sistema de certificação sustentável se consolide ainda mais e se torne uma referência, para os utilizadores e para os cidadãos, da boa gestão dos recursos da floresta".
 
Tito Rosa, Presidente da Direção Nacional da LPN

  


A eleição dos órgãos sociais para o quarto triénio de actuação da FSC Portugal decorreu em Assembleia Geral. São ainda parte da Direcção entidades como a SONAE Indústria P.C.D.M., que assume a Vice-Presidência, a FilCork, a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, a Altri Florestal, Forestis – Associação Florestal de Portugal, a WWF – World Wide Fund For Nature, o Centro Pinus - Associação para a Valorização da Floresta de Pinho, e a SPCF – Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais.

Conheça a estrutura dos restantes Órgãos Sociais aqui.




O que é o FSC?

O FSC é uma organização sem fins lucrativos, de âmbito internacional, dedicada à promoção de uma gestão florestal responsável no mundo inteiro. Torna possível que empresas e consumidores façam escolhas esclarecidas sobre os produtos florestais que compram, contribuindo para uma mudança positiva através do poder da dinâmica de mercado.
Fazem parte do FSC algumas das principais ONG ambientais, entre elas e em Portugal a LPN, empresas e organizações de cariz social, bem como proprietários e gestores florestais e pequenas e médias empresas do sector florestal que, em conjunto, definem as melhores práticas florestais, integrando questões sociais e ambientais.

Como surgiu o FSC?
Em 1990, várias organizações ambientais e de direitos humanos reuniram-se com diversas empresas internacionais do setor florestal para responder a preocupações crescentes com o avanço da destruição das florestas tropicais pelo mundo, degradação ambiental e exclusão social. Era necessário um sistema credível que identificasse florestas bem geridas como fonte de produtos de madeira produzidos de forma responsável – uma Gestão Florestal Responsável. Após um intenso período de consulta em 10 países, em 1993 foi fundado o FSC, para apoiar a ideia de um sistema de certificação florestal não-governamental, independente e internacional e com a missão de promover uma gestão ambientalmente apropriada, socialmente benéfica e economicamente viável das florestas do mundo.
Desde então, o número de certificados emitidos tanto em Gestão Florestal, como em Cadeia de Custódia, tem vindo a aumentar exponencialmente. O milésimo certificado de Gestão Florestal Sustentável foi emitido em 2010 a uma associação de produtores florestais portugueses.

Princípios e Critérios FSC
São o mais elevado referencial normativo de gestão florestal, e exigem do proprietário ou gestor florestal:
Princípio 1: Cumprimento da legislação e dos Princípios FSC - cumprir todas as leis, regulamentos, tratados, convenções e acordos, conjuntamente com todos os Princípios e Critérios do FSC;
Princípio 2: Posse e Direitos de Uso e Responsabilidades - definir, documentar e estabelecer legalmente os direitos de longo prazo de posse e uso da terra;
Princípio 3: Direitos dos Povos Indígenas - identificar e defender o direito dos povos indígenas à propriedade e ao uso da terra e dos recursos;
Princípio 4: Relações Comunitárias e Direitos dos Trabalhadores - manter ou potenciar o bem-estar social e económico das comunidades locais;
Princípio 5: Benefícios da floresta - manter ou aumentar no longo prazo os benefícios económicos, sociais e ambientais da floresta;
Princípio 6: Impacte ambiental - manter ou restaurar os ecossistemas, biodiversidade, recursos florestais e paisagem;
Princípio 7: Plano de Gestão - dispor de um plano de gestão documentado, implementado, monitorizado;
Princípio 8: Monitorização e avaliação - demonstrar progresso relativamente aos objetivos de gestão;
Princípio 9: Manutenção de Florestas de Alto Valor de Conservação - manter ou melhorar os atributos que definem tais florestas;
Princípio 10: Plantações - planear e gerir plantações de acordo com os Princípios e Critérios FSC.

Saiba mais em pt.fsc.org/pt-pt


31/03/2017