Notícias

Castro Verde já é Reserva da Biosfera da UNESCO

A decisão da UNESCO de integrar o concelho de Castro Verde na Rede Mundial de Reservas da Biosfera foi anunciada a 14 de junho, na sua sede em Paris.






Fotografia de Luis Venâncio


Desde o dia 14 de junho que o concelho de Castro Verde é a 11.ª Reserva da Biosfera em Portugal a ser inscrita na Rede Mundial de Reserva da Biosfera da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e a primeira a sul do rio Tejo.

Promovida pela Câmara Municipal de Castro Verde, a Associação de Agricultores do Campo Branco (AACB) e a Liga para a Protecção da Natureza (LPN), a elaboração da candidatura implicou a dinamização de um processo de participação e construção comunitária, iniciado no ano de 2013, que culminou com a entrega do dossier de candidatura subscrito pelo Estado Português em setembro de 2016 na sede da UNESCO em Paris.

Na base da mesma, pesou o facto de Castro Verde ser um “Ecossistema Humanizado de Alto Valor Natural”, onde a compatibilização da atividade agrícola com a conservação da natureza se tem traduzido na manutenção da maior área da estepe cerealífera em Portugal. Criada por práticas centenárias de uma agricultura extensiva, esta paisagem levou à formação de um riquíssimo mosaico de habitats, onde ocorrem, entre outras espécies, aves como a abetarda, o sisão e o peneireiro-das-torres. 

Esta simbiose entre o Homem e o meio que o envolve tem definido aquilo que é a maneira de ser e de estar deste território e afirma uma identidade própria, que diferencia e é marca de Castro Verde. Este galardão da UNESCO é, assim, sinónimo de diferenciação pela qualidade e pela excelência e confere todo um potencial de divulgação e visibilidade mundial.

Atribuída no âmbito do Programa da UNESCO "O Homem e a Biosfera” (Programa MaB – Man and The Biosphere), esta classificação distingue áreas territoriais de proteção dos recursos naturais e pretende criar modelos de gestão que unam autoridades públicas, privadas e populações locais, através do diálogo, da troca de conhecimento, da melhoria do bem-estar, do respeito pelos valores culturais, em torno do desenvolvimento económico e humano sustentável.

Em suma, trata-se de um reconhecimento do trabalho desenvolvido ao longo de décadas, que trará novos desafios, potenciará uma dinâmica local e de trabalho em rede, a melhoria da qualidade de vida das populações locais e o desenvolvimento económico e social sustentável deste território.

O trabalho que a LPN desenvolve em Castro Verde há mais de 25 anos na proteção da biodiversidade estepária, que tem nestas planícies o seu principal reduto populacional, contribuiu para se alcançar este importante reconhecimento.

Para tal foi decisivo o empenho dos associados da LPN, que ao longo dos anos têm apoiado a associação neste compromisso, designadamente na aquisição e gestão dos 1812 hectares de terrenos que foram agora integrados nas Zonas Núcleo desta Reserva da Biosfera, bem como, nas atividades de sensibilização dinamizadas através do Centro de Educação Ambiental do Vale Gonçalinho.

No dia 21 de junho, pelas 19h30, irá realizar-se em Castro Verde uma Sessão Comemorativa da classificação de Castro Verde como Reserva da Biosfera da UNESCO, aberta ao público e para a qual estão convidados todos os associados da LPN.