Notícias

Uma viagem pelas profundezas e à descoberta das pegadas de dinossauros no Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros

A LPN acompanhou a saída de três turmas de Percursos Alternativos do 7º, 8º e 9º ano do Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos numa viagem pelo Maciço Calcário Estremenho.





O dia 16 de novembro foi um dia diferente para os alunos da Escola Básica Escultor Francisco dos Santos, em mais uma saída de campo inserida no Projeto "Natureza para Todos" promovido pela LPN, desta vez na área do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros. Com a coordenação da professora Isabel Madeira, a colaboração de vários professores de diferentes disciplinas e orientação do professor destacado na LPN, os alunos viajaram à descoberta da gruta do Algar da Pena, das pegadas de dinossauros da Jazida de Vale dos Meios e da disjunção Prismática da Portela do Teira.

Através de um trajeto pelo modelado cársico do Parque Natural da serra de Aire e Candeeiros (PNSAC), a primeira paragem efetuou-se ao mundo subterrâneo do Centro de Interpretação do Algar da Pena. Lá esperava-nos para nos orientar, o Dr. Olímpio Martins e a Drª Margarida Martins do ICNF que que nos explicaram de uma forma didática e elucidativa o processo de formação das grutas e dos diferentes espeleotemas. Após uma introdução, contextualizando o que se iria avistar, divididos em grupos de 12 alunos e professores, fomos convidados a penetrar através de um desnível de mais de 40 metros, onde se abriu ao nosso olhar uma experiência única numa paisagem subterrânea de indescritível beleza. Foi para muitos alunos a oportunidade de visitarem pela primeira vez uma gruta, e logo esta, que alia a importância científica a um grande interesse didático e turístico.

Seguidamente, sempre com a Geologia em principal destaque, ao longo do caminho em terra batida onde se evidenciam inúmeras indústrias extrativas chegámos ao destino da segunda paragem para se observar as pegadas e trilhos de dinossauros da Jazida de Vale dos Meios. Aí, deparámo-nos numa antiga pedreira destinada à exploração do calcário, com uma enorme quantidade de pegadas de terópodes (dinossauros carnívoros bípedes) e de saurópodes. A surpresa foi total, ao observarmos o excelente estado de conservação das pegadas e trilhos. Os alunos movidos pela curiosidade iam gradualmente achado e anunciando a observação de novos trilhos e pegadas, num registo com 168 milhões de anos que segundo as investigações registam mais de 1000 pegadas de dinossauros. Após uma breve descrição de como se formaram essas impressões tridáctilas, foi salientado que o seu detalhe e quantidade de informação que nos fornece, permite o conhecimento da morfologia dos dinossauros e estudo dos aspetos de locomoção e comportamento. O seu excelente estado de conservação e elevada quantidade de pegadas de dinossauros fazem desta jazida uma das melhores e talvez a mais importante do Jurássico Médio na Península Ibérica, constituindo um bem do nosso património natural de excecional valor cultural, pedagógico e cultural que importa preservar e valorizar.

Terminada essa paragem era tempo para almoço e lá fomos rumo à povoação de Alcobertas onde efetuámos depois um pequeno percurso pedestre na povoação de Alcobertas junto à ribeira, sempre rodeados dos muros de pedra que compartimentam a paisagem destacando-se o património cultural e vestígios arqueológicos aí existentes.

De volta ao autocarro, pelo dorso da serra de Candeeiros atravessando dolinas chegámos à nossa última paragem da nossa saída de campo - Portela do Teira onde se iria observar um cenário de inegável valor patrimonial e natural, a sul de Alcobertas. Chegados ao local, efetuámos um pequeno percurso pedestre até se chegar ao momento mais esperado: as formas de disjunção prismática do basalto que se tornaram mais visíveis tornando-o algo invulgar. Já quase no final do dia regressámos à escola, onde os alunos através de uma saída de campo tiveram um dia diferente.

 
 
Centro de Interpretação do Algar do Pena – Dr. Olímpio Martins (ICNF) - Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos.

 
 
Jazida de Vale dos Meios (Contramolde de uma pegada tridáctila)


 
Esta atividade decorreu no âmbito do projeto "Natureza para Todos" que conta com o apoio do Fundo Ambiental.