Notícias

Conhecer o litoral do Parque Natural Sintra-Cascais

No passado dia 14 de Abril, depois de uma semana de chuva intensa o Sol brilhou no cabo da Roca...






No passado dia 14 de Abril, depois de uma semana de chuva intensa o Sol brilhou no cabo da Roca para o grupo de vinte participantes na atividade “Biodiversidade em Perigo – conhecer o litoral do Parque Natural Sintra-Cascais”. Tendo por convidado o investigador do INIAV- Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária – Jorge Capelo foi realizada uma breve caracterização das regiões biogeográficas da Europa, de Portugal e da região onde o percurso estava inserido.

Neste sábado, as famílias, os amigos e os curiosos partiram do Promontorium Magnum dos Romanos e iniciaram um percurso na descoberta da biodiversidade e seus habitats, tentando encontrar espécies que pertencessem à mesma família. Atendendo ao clima e à geologia da região foi possível observar a Armeria pseudoarmeria, espécie calcífuga e que só se encontra em terrenos com rochas magmáticas, partilha a mesma família que a espécie Limonium multiflorum. Pelo PR7 até à praia da Adraga, dissecando a paisagem por uma lente fotográfica ou até mesmo com uma lupa de bolso, foram descobertas, para além das espécies endémicas, espécies invasoras e exóticas. Ao mudar a litologia foi possível encontrar outras espécies, como as Orquídeas que se desenvolvem bem em solos calcários. Os participantes, cidadãos, puderam observar in loco espécies protegidas pela diretiva habitats, anexo II e IV, como a Jonopsidium acaule e Verbascum litigiosum.

Por entre rochas do Jurássico superior, na vertente sul e rochas do cretácico inferior na vertente norte, os participantes puderam degustar o almoço volante. Prosseguiram pelos trilhos até ao Fojo da Adraga, estrutura cársica modelada por agentes erosivos que permite atravessar com o olhar o maciço até se observarem as ondas nas profundezas. Não esquecendo a pedra do Alvidrar. Os participantes retomam a caminhada e como a praia da Ursa se entrava interditada registam a sua beleza pela lente de uma maquina fotográfica. Fechando o percurso circular os participantes terminaram o percurso no mesmo sítio onde o iniciaram, no cabo da Roca.
 


Fotografias de Cristina Rocha