Agricultura em sinergia com a conservação











A conservação das aves da região do Campo Branco, com cerca de 80.000 ha considerados importantes para as aves, é ditada pelas decisões individuais de várias centenas de agricultores e proprietários. Uma mudança do tipo de atividades agrícolas ou o abandono destas atividades seria o fim das possibilidades de sobrevivência da avifauna associada ao ecossistema estepário.
Deste modo, e paralelamente às ações do Programa Castro Verde Sustentável, a LPN tem promovido ações de conservação global em toda a região do Campo Banco, colaborando com a Associação de Agricultores do Campo Branco para compreender as principais dificuldades encontradas na implementação do Plano Zonal de Castro Verde (atualmente designado como Intervenção Territorial Integrada de Castro Verde).
O Plano Zonal de Castro Verde é uma Medida Agroambiental, elaborado especificamente para a região do Campo Branco (abrangendo cerca de 60000 ha), cuja filosofia assenta no pagamento de um serviço de conservação da paisagem e da avifauna ameaçada aos agricultores que pratiquem uma agricultura compatível com a conservação do património natural. O Plano Zonal de Castro Verde teve início em 1995 e a adesão voluntária dos agricultores é contratualizada como o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente  por um período de 5 anos. Os compromissos, a que os agricultores ficam obrigados quando aderem a esta medida para assegurarem a conservação das aves, tem custos adicionais associados e alguma perda de rendimento. Entre os compromissos destaca-se a interdição de trabalhos agrícolas (lavouras e ceifas) durante a época de reprodução de aves e a sementeira de culturas de leguminosas para as aves.