É tempo de investir num futuro saudável: é tempo de uma recuperação verde e justa.  

 

 

A LPN apoia a Petição "para uma recuperação verde e justa para a Europa após COVID-19", que visa apelar aos líderes da União Europeia e aos líderes nacionais que enfrentem com solidariedade, coragem e inovação a crise sem precedentes provocada pela pandemia da Covid-19.


Durante este tempo de crise, que está a tirar muitas vidas e a colocar em risco os meios de sobrevivência de outras, é essencial que os nossos líderes deem uma resposta forte. Congratulamos os planos de disponibilizar fundos substanciais para combater a emergência sanitária, o desemprego e apoiar as pequenas empresas europeias, mas é preciso mais.


Milhões de Europeus esperam pelo fim da quarentena, pelo dia em que vão poder voltar a reunir-se com a família e amigos e para voltar ao trabalho. Mas nós não queremos voltar ao “business as usual”, não queremos voltar a um modelo económico que tem exacerbado as desigualdades sociais, comprometido a nossa saúde e que tem levado a natureza e o nosso planeta para a beira do colapso. Em vez disso, acreditamos que agora é tempo de tornar as nossas economias radicalmente mais verdes, justas e mais resilientes a futuros choques.


Enquanto a prioridade imediata é resolver esta emergência de saúde pública, pacotes de estímulo públicos vão ter que ser desenvolvidos de forma a relançar a economia, criar milhões de empregos e apoiar as pessoas – especialmente as mais vulneráveis – neste tempo difícil. A forma como respondemos à crise vai determinar a nossa falha ou sucesso na luta contra as alterações climáticas, a perda de natureza, a poluição e desigualdade e criar benefícios para a saúde de todos.

A UE e os seus governos devem por isso demonstrar liderança e visão ao direcionar todos os investimentos públicos para o aceleramento da transição para uma economia mais justa, resiliente e sustentável, dando um boost ao Pacto Ecológico Europeu.


Apelamos aos líderes políticos que desenvolvam planos europeus compreensivos e nacionais de Recuperação Sustentável:

  • Aumentar as politicas contra as alterações climáticas e a perda de biodiversidade na UE, a nível nacional e internacional, reforçando e continuando a implementação de metas, estratégias e leis anunciadas no Pacto Ecológico Europeu;
  • Em setores de alto-carbono e outros potenciais poluentes como a agricultura intensa, apoiar as empresas no alinhamento com os objetivos ambientais e climáticos. Não devem ser feitos resgates a industrias inviáveis ou poluentes que não têm futuro na economia de amanhã. Auxílios estatais, empréstimos, subsídios e outros apoios diretos ou indiretos a empresas devem ser feitos sob condições estritas, ser monitorizados e aplicados pela UE, e focar-se em iniciativas sustentáveis e criação de empregos sustentáveis.
  • O estabelecimento de um fundo de recuperação verde apoiado por todas as ferramentas financeiras europeias (incluindo o Quadro Financeiro Plurianual e os seus programas, novos fundos, o uso do Mecanismo de Estabilidade Europeu e a exploração dos “eurobonds”), para financiar uma recuperação verde e justa. Estas intervenções devem ser baseadas em princípios estabelecidos como a transparência, responsabilidade e direcionados para a comunidade.
  • Investimento público e privado durante a recuperação deve ser guiado pela taxonomia europeia para acelerar a transição de sectores poluentes para verdes. Similarmente, o Banco de Investimento Europeu deve colocar as suas politicas de empréstimos em linha com os objetivos do Acordo Verde Europeu até ao final de 2020; além disso, politicas financeiras sustentáveis devem ser aceleradas e todos devem acordar em excluir uma taxonomia de práticas insustentáveis.
  • Todos os planos de recuperação devem colocar o bem-estar das pessoas no coração da resposta à crise, fornecer benefícios sociais e proteger os direitos dos trabalhadores através de uma “transição justa para todos”.


Apoiamos os inúmeros apelos por uma recuperação verde que têm surgido por toda a europa: de 13 governos europeus, Membros do Parlamento Europeu, o Clube de Roma, cientistas, ONGs, 200 representantes de negócios e políticos, companhias energéticas e muitos mais. O Conselho Europeu apelou também à UE que preparasse um plano de recuperação económica que integrasse a transição verde. A estas vozes nós juntamos a nossa!

 

Junte-se a nós e assine a petição clicando aqui.

 

 

 

Campanha em parceira com

 

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt