O projeto de Promoção da conservação das aves estepárias em Castro Verde (Aves das Estepes) tem como objetivos (1) melhorar o habitat agro-estepário, contribuindo para reverter o declínio populacional de cinco “espécies-bandeira” ameaçadas: a abetarda, o sisão, o cortiçol-de-barriga-negra, o tartaranhão-caçador (ou águia-caçadeira) e o rolieiro; e (2) desenvolver e demonstrar um conjunto de ações de conservação que podem ser amplamente replicadas por agricultores em outras áreas estepárias, multiplicando assim os impactes positivos deste projeto. Financiado pela associação VIRIDIA, o projeto será implementado ao longo de um ano, entre setembro de 2021 e setembro de 2022.

 

Tem como área de intervenção a região do Baixo Alentejo, mais concretamente em explorações agrícolas da Zona de Proteção Especial (ZPE) para Aves de Castro Verde (Rede Natura 2000 – Rede Europeia de Espaços Naturais) e Reserva da Biosfera da UNESCO de Castro Verde, que abrange os seguintes concelhos: Castro Verde, Aljustrel, Almodôvar, Ourique, Mértola e Beja.

 

O projeto Aves das Estepes visa fazer face às principais ameaças atuais às populações de aves estepárias na ZPE de Castro Verde como a diminuição do habitat disponível, devido à implantação de culturas agrícolas permanentes, a deterioração da qualidade do habitat devido ao sobre-pastoreio do gado e à produção de forragens (como o corte de fenos), as mudanças climáticas, principalmente devido ao aumento da frequência de secas, ondas de calor e risco de incêndio, e a predação.

 

A LPN pretende assim contribuir para a recuperação das populações de 5 espécies de aves emblemáticas do ecossistema agro-estepário, contribuindo para melhorar o seu estado de conservação a longo prazo, através dos seguintes eixos estratégicos principais:

  • Promover a proteção de todas as áreas necessárias para garantir o seu ciclo de vida (criação e pós-criação);
  • Melhorar o estado de conservação do habitat estepário;
  • Aumentar o conhecimento sobre os impactos das atividades humanas nestas espécies (por exemplo, intensificação agrícola, fragmentação de habitat, áreas de distribuição e tendências populacionais).

 

 

As ações de conservação que estão previstas implementar no âmbito deste projeto estão assentes em duas vertentes

 

I. Aumentar a resiliência dos ecossistemas e a adaptação às alterações climáticas com soluções baseadas na natureza

I.1. – Remoção de sedimento em pegos de verão nas ribeiras e em pequenas barragens

I.2. – Proteção das margens da ribeira e de barragens do pastoreio do gado

I.3. – Adensamento da vegetação ribeirinha

I.4. – Instalação de pequenos bosquetes

I.5. – Disponibilizar recursos alimentares suplementares

 

II. Reduzir os impactes das atividades agrícolas durante a época de reprodução

II.1. Reduzir o impacte do corte de fenos

II.2. Reduzir a perturbação e pressão do pastoreio

II.3. Aumentar a disponibilidade de ninhos para aves estepárias que nidificam em cavidades

II.4. Proteger ninhos de tartaranhão-caçador

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt