A conservação das aves estepárias do Campo Branco

 

 

 

 

O Programa Castro Verde Sustentável (PCVS), desenvolvido pela LPN desde 1993, teve início com o Projeto “Conservação da Avifauna Estepária de Castro Verde”, cofinanciado por um Programa LIFE-Natureza da União Europeia para a Conservação da Natureza (1993 a 1999).

 

O Programa Castro Verde Sustentável visa promover a conservação das aves estepárias da região do Campo Branco e do seu habitat. As pseudo-estepes ou estepes cerealíferas desta região são reconhecidas nacional e internacionalmente pela importância para várias espécies de aves como a Abetarda (Otis tarda), o Peneireiro-das-torres (Falco naumanni), o Grou (Grus grus), o Sisão (Tetrax tetrax), o Cortiçol-de-barriga-negra (Pterocles orientalis) e o Tartaranhão-caçador (Circus pygargus), entre outras. As duas primeiras são consideradas como espécies globalmente ameaçadas, estando incluídas no conjunto de aves consideradas de conservação prioritária pela União Europeia.

 

A LPN tem desenvolvido diversos projetos LIFE de conservação da natureza em Castro Verde, já premiados. Mas a conservação destas aves está dependente da manutenção do habitat e, como tal, a LPN tem também implementado diversos projetos que abordam problemas associados à preservação dos sistemas agrícolas arvenses de sequeiro, à conservação do solo e da água, ao melhoramento em tecnologias agrícolas, à valorização de resíduos, à educação e sensibilização ambiental e à sócio-economia rural.

 

Abetarda; foto por Iván Vásquez

 

 

Agricultura em sinergia com a conservação

 

A conservação das aves da região do Campo Branco, com cerca de 80.000 ha considerados importantes para as aves, é ditada pelas decisões individuais de várias centenas de agricultores e proprietários. Uma mudança do tipo de atividades agrícolas ou o abandono destas atividades seria o fim das possibilidades de sobrevivência da avifauna associada ao ecossistema estepário. 


Deste modo, e paralelamente às ações do Programa Castro Verde Sustentável, a LPN tem promovido ações de conservação global em toda a região do Campo Banco, colaborando com a Associação de Agricultores do Campo Branco para compreender as principais dificuldades encontradas na implementação do Plano Zonal de Castro Verde (atualmente designado como Intervenção Territorial Integrada de Castro Verde).


O Plano Zonal de Castro Verde é uma Medida Agroambiental, elaborado especificamente para a região do Campo Branco (abrangendo cerca de 60000 ha), cuja filosofia assenta no pagamento de um serviço de conservação da paisagem e da avifauna ameaçada aos agricultores que pratiquem uma agricultura compatível com a conservação do património natural. O Plano Zonal de Castro Verde teve início em 1995 e a adesão voluntária dos agricultores é contratualizada como o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente  por um período de 5 anos. Os compromissos, a que os agricultores ficam obrigados quando aderem a esta medida para assegurarem a conservação das aves, tem custos adicionais associados e alguma perda de rendimento. Entre os compromissos destaca-se a interdição de trabalhos agrícolas (lavouras e ceifas) durante a época de reprodução de aves e a sementeira de culturas de leguminosas para as aves.

 

Rolieiro; foto por Ivan Vasquez

 

SE VAI VISITAR A REGIÃO DE CASTRO VERDE CONTACTE A LPN!

 

No CEAVG a LPN acolhe inúmeros turistas de diversas nacionalidades, essencialmente estrangeiros interessados pela observação de aves. A LPN através de técnicos especializados fornece informações acerca das espécies, dos locais onde frequentemente são observáveis, as melhores alturas do ano e também do dia para as observar!

 

A LPN realiza as seguintes Atividades:

OBSERVAÇÃO DE AVES ESTEPÁRIAS:

  • Visitas guiadas, a pé ou em veículo todo-o-terreno, nas Reservas de Biodiversidade da LPN e por toda a ZPE de Castro Verde;

FOTOGRAFIA DE AVES ESTEPÁRIAS: 

  • Em abrigos colocados em pontos estratégicos para observação de aves nas Reservas de Biodiversidade da LPN.

 

Estas atividades podem ser complementadas com outras, de acordo com os interesses dos visitantes:

  • Visitas para conhecimento do património histórico-cultural da região;
  • Contacto com a gastronomia e artesanato, entre outras atividades.

 


Fêmea de Peneireiro; foto por Nuno Lecoq

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt