Educação Ambiental no EVOA

O Projeto Despertar para a Natureza da LPN, com o apoio da EPAL, possibilitou aos alunos do Agrupamento de Escolas Professor Armando Lucena- Malveira, uma tarde de aprendizagem mais significativa no EVOA – Espaço e Visitação e Observação de Aves, proporcionando uma perspectiva diferente e complementar do trabalho na sala de aula que os alunos tinham efetuado no estudo, defesa e proteção das aves, nomeadamente da rede de custódia pela conservação das Águias de Bonelli peri-urbanas – IFE Lx-Aquilla.

 

No dia 27 de setembro, os alunos do 9º ano do Agrupamento de Escolas Professor Armando Lucena- Malveira, acompanhados pelo professor destacado na LPN – Jorge Fernandes e pelas professoras Hélia Ribeiro e Marlene deslocaram-se ao EVOA – Espaço de Visitação e Observação de Aves.

 

Para além da saída ter como objetivo o conhecimento da biodiversidade do estuário do Tejo, nomeadamente a observação da avifauna do estuário do Tejo, pretendeu-se articular a saída de campo com o projeto LIFE LxAquila, cuja turma selecionada é guardiã da águia-de-bonelli.

 

O projeto LIFE LxAquila, cofinanciado pela EU – União Europeia e na qual a entidade promotora é a SPEA – socioedade Portuguesa do Estudo das Vaves pretende juntar comunidades locais, autoridades e especialistas para proteger as águias-perdigueiras (ou águias-de-bonelli) que, na Área Metropolitana de Lisboa, vivem extraordinariamente perto das pessoas e merece especial atenção em termos de conservação.

 

Sendo a terceira maior águia que ocorre em Portugal, ela é uma exímia caçadora que adapta a sua dieta às presas mais abundantes, e em que os casais caçam muitas vezes em conjunto. Os seus voos acrobáticos são dos espetáculos mais impressionantes da natureza. A população portuguesa de águia-de-bonelli está classificada como Em Perigo pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal Em 2011 estimava-se que existiriam entre 116 a 123 casais reprodutores no nosso país.

 

O EVOA, situado em plena Reserva Natural do Estuário do Tejo (RNET), tem como entidade parceira a LPN e disponibiliza atividades de educação ambiental  inovadoras para os alunos,  proporcionando uma melhor aprendizagem, através, por exemplo, da observação direta nos seus observatórios situados nas margens das três lagoas. Essas lagoas são muito importantes para as aves, sendo utilizadas como área de refúgio ou mesmo como local de nidificação.

 

Inicialmente, as duas orientadoras/guias de Educação Ambiental do EVOA acolheram e reuniram os alunos e professores no Centro de Interpretação convidando-os a conhecerem as suas exposições relativas ao rio Tejo e seu Estuário tendo depois de uma breve apresentação dos objetivos do EVOA, salientado a importância da proteção e conservação da biodiversidade do estuário, especialmente destacando a sua rica avifauna.

 

 

Apresentação pelas guias/monitoras do EVOA no Centro de Interpretação

 

 

O estuário do maior rio português é uma das zonas húmidas mais importantes de Portugal e da Europa. É um verdadeiro paraíso para os observadores da avifauna e um dos locais mais procurados pelos observadores para além da sua importância para a conservação das aves, sendo prioritário a conservação das zonas de refúgio das aves. Pelo facto de albergar importantes percentagens das populações de aves como o Milherango (Limosa limosa), Pilirito-comum (Calidris alpina), Alfaiate (Recurvirostra avosetta)- ave- símbolo da RNET e da Tarambola- Cinzenta (Pluvialis squatarola), o Estuário do tejo foi classificado como Sítio Ramsar, resultante  da Convenção sobre Zonas Húmidas que constituiu um tratado inter-governamental adoptado em 2 de fevereiro de 1971n a cidade iraniana de Ramsar.

 

Após a apresentação/introdução a turma dividiu-se em dois grupos para participar numa atividade complementaer ao ar livre, nas imediações do Centro de Interpretação.

 

 

 

Apresentação da atividade das cadeias tróficas junto ao centro de Interpretação do EVOA

 

 

A atividade realizada, de simulação de redes tróficas em que a águia – de- bonelli assumiu o seu papel de predador permitiu desmistificar o papel das rapinas nos ecossistemas.

Os alunos compreenderam porque muitas delas são espécies ameaçadas e como cada um de nós pode ter um papel na sua conservação e na manutenção de ecossistemas equilibrados.

 

 

Atividade de simulação sobre cadeias tróficas, com enfoque na águia-de-bonelli e suas presas.

 

 

Posteriormente, efetuou-se um pequeno percurso guiado para observação de aves, com recurso a telescópios, binóculos e guias na lagoa principal.

 

Junto à margem da lagoa, descreveu-se nos observatórios algumas aves aquáticas observadas, nos observatórios, como por exemplo, bandos de íbis-preta, abibes, flamingos, pato-real, garça-real, garça-branca-pequena, milherango, alfaiates e pato-trombeteiro.

 

 

Após esta saída de campo ressalta a satisfação dos alunos expressos nos seus comentários, reforçando a importância que o Projeto Despertar para a Natureza e do EVOA proporcionam de contacto experiencial com os ambientes naturais, por forma a se ter um impacto previsível a longo-prazo nas atitudes e comportamentos dos alunos.

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt