Foi inaugurado o Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos!

No dia 12 de junho, dezenas de pessoas e entidades juntaram-se no Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos para assinalar a sua inauguração junto do grande público.

 

 

 

Boas-vindas pelo Presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, Vítor Marques, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Óbidos, Filipe Daniel. © Município das Caldas da Rainha.

 

 

Localizado na Avenida do Mar, de frente para a Lagoa de Óbidos, este espaço disponibiliza ao seu visitante informação sobre o património histórico-cultural e natural daquela que é uma das maiores lagunas da costa portuguesa, a Lagoa de Óbidos.

 

Vista sobre o edifício do Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos. © Liga para a Protecção da Natureza.

 

 

Rita Martins, da Liga para a Protecção da Natureza, numa visita guiada pelo Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos. © Município das Caldas da Rainha.

 

 

O Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos,

uma visita ao território…

 

O recém-inaugurado espaço, criado nas instalações da Autoridade Marítima Nacional na Foz do Arelho, disponibiliza ao visitante um diverso conjunto de ferramentas pensadas à medida de cada público.

 

À entrada, encontramos o Posto de Turismo, igualmente inaugurado por esta ocasião.

Aqui o turista encontrará informação útil sobre o território, desde rotas a percorrer, espaços museológicos a visitar e serviços turísticos oferecidos pelos operadores da região.

 

A pensar nos mais pequenos, o centro de interpretação dispõe de um “Espaço Criança”, com um cantinho de leitura que disponibiliza livros juvenis sobre a Lagoa de Óbidos, desafios e atividades diversas. No momento da inauguração, a sala apresentava-se decorada com pinturas a aguarela de várias espécies de animais que ocorrem na Lagoa de Óbidos, da autoria dos alunos da EB do Nadadouro, que ao longo do ano letivo participaram em atividades dinamizadas pela LPN.

 

Para além de painéis informativos temáticos em português e inglês, o centro dispõe de um espaço digital com um detalhado mapa interativo da Lagoa de Óbidos. Uma ferramenta que permitirá aos seus utilizadores viajar pelos diferentes pontos de interesse em redor da laguna, ao mesmo tempo que conhecendo mais sobre episódios históricos, a cultura, os costumes e o património natural do território.

 

Este mapa está disponível gratuitamente na aplicação móvel (App) “Lagoa de Óbidos”, pelo que o visitante poderá preparar a sua viagem à Lagoa de Óbidos e criar o seu roteiro a partir de qualquer lugar no mundo e em qualquer momento. Para aceder à App, visite-nos no Site do Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos, em www.lagoadeobidos.pt. Nesta nova plataforma, disponibilizamos-lhe ainda informação vária sobre a Lagoa de Óbidos, incluindo documentação que até aqui se encontrava dispersa em diversos arquivos públicos e privados.

 

A maior sala do centro de interpretação funciona como um ponto de encontro com a comunidade local e com o visitante. É aqui que são dinamizadas atividades com o público, como debates, workshops, ateliers e eventos. Com vista direta para a Lagoa, é também aqui que estarão patentes diferentes exposições temáticas temporárias.

 

A exposição inaugural é dedicada aos “Mariscadores da Lagoa de Óbidos" e encontra-se integrada no projeto fotográfico "As Pessoas fazem os Lugares", com fotografias de João Botas e textos de Ricardo Botas.

 

 

 

Alberto Jacinto (na foto à esquerda), pescador e mariscador na Lagoa de Óbidos, é um dos rostos da exposição dos "Mariscadores da Lagoa de Óbidos”, da autoria de João Botas (na foto à direita) e Ricardo Botas. © Município das Caldas da Rainha.

 

 

A vida deste espaço cresce e estende-se por toda a sua infraestrutura.

Nas várias salas do centro de interpretação encontramos fotografias da autoria de Pedro Olivença e do município de Óbidos, que nos trazem diferentes olhares sobre a Lagoa de Óbidos, a sua avifauna, as suas cores e as suas gentes.

 

Cortesia dos habitantes locais Miguel Castro (Caldas da Rainha) e Marco Tomás (Óbidos), e de vários elementos do Rancho Folclórico e Etnográfico do Arelho, também por aqui encontramos expostos muitos objetos que nos permitem viajar na Lagoa de Óbidos ao longo do tempo… Quem ali pertence, rapidamente regressará às memórias da época em que ainda se pescava na Lagoa com bateiras movidas a remos e varas, em que se usavam poitas como âncoras, se recolhiam limos para a fertilização dos campos e se utilizavam na pesca fisgas com barbelas. A extensão dos seus cabos de madeira recordar-lhes-á a outrora grande fundura da laguna, hoje mais assoreada. Por momentos, connosco escutarão o som do apupo e lançarão às águas redes com boias de cortiça ou de vidro. Outros tempos, mas que agora voltaram para ficar no nosso quotidiano com o Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos.

 

Já no exterior, encontramos neste espaço interpretativo algo único, que não existe mais na região. Uma réplica das antigas «barracas» dos pescadores da Lagoa de Óbidos construídas pelos Varinos durante os cerca de oito meses de companha que todos os anos por aqui passavam. Resultante de um atelier artístico promovido em parceria com o coletivo Guarda-Rios, esta barraca foi construída com a participação de vários habitantes locais que neste dia de inauguração nos voltaram a honrar com a sua presença.

 

Réplica de uma «barraca» dos pescadores, semelhante às que há mais de 200 anos foram construídas na margem norte da Lagoa de Óbidos por pescadores vindos da Murtosa, servindo-lhes de habitação - «ali cozinhavam, dormiam e guardavam o pouco que tinham». © Liga para a Protecção da Natureza.

 

 

A inauguração do Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos e do Posto de Turismo foi integrada nas comemorações do 13º aniversário da elevação da Foz do Arelho a vila.

 

Fernando Sousa, presidente da Junta de Freguesia da Foz do Arelho. © Município das Caldas da Rainha.

 

 

Os municípios das Caldas da Rainha e de Óbidos, enquanto dinamizadores deste espaço, e a Liga para a Protecção da Natureza, enquanto entidade coordenadora do projeto OPP que levou à construção da identidade do Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos, agradecem a todas as entidades e a todas as pessoas que connosco vieram assinalar este que foi um importante dia para a comunidade da Lagoa de Óbidos.

 

 

O Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos, da ideia, ao projeto, à ação.

Estávamos em 2017 quando o Conselho da Cidade – Associação para a Cidadania propôs no âmbito do Orçamento Participativo Portugal (OPP) a ideia de criação de um Centro de Interpretação para a Lagoa de Óbidos, que criasse e disponibilizasse ao visitante um conjunto de ferramentas informativas de apoio à interpretação do lugar e da sua história de relação com as comunidades locais, ao mesmo tempo que contribuísse para a proteção, valorização e transmissão do património natural e cultural locais às gerações futuras.

 

Ana Costa Leal, do Conselho da Cidade – Associação para a Cidadania, no dia da inauguração do Centro de Interpretação da Lagoa de Óbidos. © Município das Caldas da Rainha.

 

 

A ideia foi das mais votadas e o projeto mereceu o apoio financeiro da FCT e da Ciência Viva para a sua concretização.

 

Coordenado pela Liga para a Protecção da Natureza, e contando com a parceria dos municípios das Caldas da Rainha e de Óbidos e do Conselho da Cidade, o projeto ganhou forma.

 

Criaram-se ferramentas pedagógicas e um programa escolar e dinamizaram-se ações destinadas a diferentes públicos, não só para a divulgação da Lagoa de Óbidos como para a criação de conhecimento sobre ela.

 

Ao longo de três anos, mais de 1400 pessoas tiveram contacto direto com o projeto, envolvendo-se ou participando nas suas dezenas de atividades dinamizadas um pouco por todo o território em volta da laguna - sessões de informação, passeios temáticos, debates, palestras, aulas abertas, ações de formação, ateliers, ações de voluntariado, ciência cidadã e atividades de educação ambiental.

 

© Liga para a Protecção da Natureza.

 

 

De um projeto nasceram outros, que inicialmente não estavam previstos, mas cujos resultados viriam a enriquecer a Lagoa de Óbidos. Seria o exemplo das “Memórias da Lagoa de Óbidos”, através do qual mais de meia centena de membros da comunidade local partilharam as suas histórias, recordações e objetos que, devidamente contextualizados, se tornaram fundamentais para conhecer e compreender a história da Lagoa de Óbidos, integrantes do seu património e parte vital da identidade e comunidades locais. Informação que de outra forma perderíamos com o passar do tempo e que agora se disponibiliza a toda a comunidade e visitantes.

 

© Liga para a Protecção da Natureza.

 

 

Com um orçamento previsto de 97 831,40 €, o projeto “Centro de Interpretação para a Lagoa de Óbidos” não incluía infraestrutura, pelo que os municípios das Caldas da Rainha e de Óbidos mobilizaram-se para a identificação de um espaço que pudesse acolher a informação reunida com o projeto para a divulgação e interpretação do património natural e histórico-cultural da Lagoa de Óbidos.

 

O edifício que hoje acolhe o Centro de Interpretação, localizado na Av. do Mar, na Foz do Arelho, é parte integrante do património edificado da Autoridade Marítima Nacional. Foi cedido ao município das Caldas da Rainha que o requalificou para a criação deste ponto de encontro com a comunidade local e com o visitante.

 

 

 

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt