Fórum Participativo: Educar para a Literacia da Floresta em tempos de Pandemia

Neste início de ano deu-se sequência a mais uma ação de formação em regime online derivado ao momento de pandemia que se regista, com a realização de um fórum participativo organizado pelo Centro de Formação da LPN com o objetivo de criar um espaço de partilha de projetos, atividades ou iniciativas que mostrem como as escolas podem contribuir para a conservação da natureza e ambiente.

 

Através da divulgação de exemplos de experiências de know-how efetuadas por escolas e instituições/organizações do país tem-se como finalidade propiciar a melhoria e transferência de conhecimento para a adoção de práticas motivadoras e relevantes na Educação para a Floresta. Tendo em vista a melhoria e capacitação para a implementação de espaços verdes no interior e exterior das escolas como uma estratégia de adaptação às Alterações Climáticas.

 

Todos conhecemos a importância dos serviços dos ecossistemas florestais e dos espaços verdes nas cidades nomeadamente na regulação dos ciclos biogeoquímicos do carbono e água, na manutenção da fertilidade dos solos. na preservação da Biodiversidade bem como nos valores educativos, culturais, éticos e estéticos.

 

Nesse âmbito, após uma introdução á temática da importância da Floresta e dos espaços verdes urbanos e escolares, com a moderação do professor destacado na LPN, a sessão iniciou-se com a intervenção da professora Manuela Lopes do Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa (Porto) que caraterizou a filosofia educativa inerente aos Laboratórios Escolares da Paisagem (LEP) e, nessa perspetiva, explorou-se as potencialidades do Laboratório Escolar da Paisagem do Parque das Águias (Bonfim-Porto), inaugurado a 11 de janeiro de 2020, sendo feito um apelo à criação de novos LEP, em escolas e Parques Urbanos do país.

 

Os LEP são definidos como espaços verdes multifacetados de dimensões variáveis apresentam caraterísticas favoráveis à investigação escolar e à efetiva interiorização de valores ambientais em contexto real de paisagem e as salas laboratórios de paisagem, apetrechadas para atividades complementares ao trabalho de campo realizado. concedendo aos alunos um espaço de investigação e de partilha de experiências, promovendo o ensino e aprendizagens com base na interpretação da paisagem e em atividades experimentais. Inspirando-se na filosofia dos LEP, a professora Helena Salgado apresentou a proposta da Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas (Porto) de requalificação de um jardim interior da escola.

 

Seguidamente o professor João Ramalho do Agrupamento de Escolas de Alvalade apresentou a excelente iniciativa do Clube de Ciência da Escola Secundária Padre António Vieira (Lisboa) que para além de diversas atividades se destaca o projeto Biografia Verde de criação de um terreno com um Ecoparque, um espaço de biodiversidade na escola onde através de um trilho se instalaram canteiros painéis informativos outdoor, placas identificadoras, interpretativas e sinalizadoras co QR code que remetem para um site com explicações mais detalhadas, hotéis de insetos, comedouros e bebedouros para as aves e caixas-ninho para as aves e morcegos, produção de fertilizante através de vermicomposto e outras atividades que têm como finalidade a aprendizagem fora da sala de aula em contexto ambiental e destina-se a alunos desde o pré-escolar ao 12º ano.

 

A educadora Elsa Mendanha do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco (Vila Nova de Famalicão) evidenciou a importância de se incentivar as crianças em pré-escolar de valorizar o património natural e a preservá-lo através de um trabalho permanente e contínuo, sustentado em projetos de práticas de sustentabilidade e de preservação da natureza. O envolvimento das crianças, das famílias e da comunidade nos projetos ambientais do jardim-de-infância de Seide S. Miguel potenciou uma participação ativa de todos na sua realização incentivando-se a que se replique em casa o que se faz na escola tendo esse projeto sido galardoado no Projeto Associação Bandeira Azul da Europa - Desafio - Brigada da Floresta da Associação Bandeira Azul da Europa.

 

Todas essa abordagens e projetos inovadores que os professores nos trouxeram sugerem o excelente trabalho desenvolvido pelas escolas e o incentivo à realização de iniciativas e projetos relacionados com os espaços verdes escolares no interior das escolas bem como nos espaços exteriores capacitando os alunos para uma cidadania ativa com o objetivo do cumprimento da Agenda 2020 para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da Estratégia Nacional de Educação Ambiental, Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade e Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas.

 

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt