Seguir a rota da natureza e da história no Jardim Botânico da Ajuda

Que valor podemos atribuir à história, se a biodiversidade e o nosso património não forem preservados para as gerações futuras? Foi com esse objetivo de despertar para uma consciência ecológica que a LPN organizou uma saída ao Jardim Botânico da Ajuda com os alunos e professores da Escola Básica Eugénio dos Santos no âmbito do projeto despertar para a Natureza.

 

Dando a conhecer a flora no Jardim Botânico da Ajuda, os alunos da Escola Básica Eugénio dos Santos viajaram pelos diversos continentes celebrando a biodiversidade em todo o seu esplendor e complexidade de formas e adaptações.  

 

 

 

Existem diversos espaços fora da sala de aula onde se pode promover a Educação Ambiental. O Jardim Botânico da Ajuda é um deles, proporcionando um exemplo de oferta de atividades ao público em geral e aos vários níveis de ensino escolar.  Com mais de 1640 plantas e um Banco de Conservação de Sementes, o Jardim Botânico da Ajuda dispõe de ótimos recursos de aprendizagem para melhor conhecimento das plantas e de sensibilização para a Conservação da Biodiversidade.

 

Nesse âmbito, no dia 28 de outubro, os alunos do 5º ano do Agrupamento de Escolas de Alvalade – Escola Básica Eugénio dos Santos, acompanhados pelos seus professores e pelo professor destacado na LPN – Jorge Fernandes realizaram uma visita ao Jardim Botânico da Ajuda com a orientação da monitora Anabela Pereira.

 

A saída organizada pela professora Cristina Nunes tinha como objetivos - Promover a interligação entre a teoria dos currículos escolares e a prática; Identificar fatores do ambiente que condicionam as plantas; identificar diferentes ciclos de vida das plantas; desenvolver atividades que promovam a consciência ecológica e experimentar outras formas de ensino e de aprendizagem.

 

Dividindo-se em dois grupos, os alunos viajaram através da flora por 5 continentes sem sair de Lisboa, através de uma abordagem igualmente histórica. Numa expedição de curiosidades pelo mundo natural, caminhando desde a época dos descobrimentos, os alunos conheceram árvores e arbustos com muitas histórias para contar, como por exemplo, fetos da altura das árvores, árvores classificadas como de interesse público (dragoeiro- Dracaena draco com 400 anos e 23 metros de copa)  e  plantas com pigmentos que podem ser utilizados por exemplo nas artes. Destacou-se também a abordagem efetuada sobre o papel dos descobrimentos na disseminação das plantas: os alimentos, especiarias e medicamentos. As plantas invasoras e a fitodiversidade.

 

Curiosos e participativos, os alunos recolheram a informação e efetuaram desenhos para um posterior trabalho a realizar posteriormente na sala de aula. A educação experiencial neste espaço magnífico, através do projeto Despertar para a Natureza da LPN, com o apoio da EPAL, constitui uma oportunidade para os alunos, de contactarem com o mundo mais natural no meio da cidade, dando a conhecer e descobrindo os reinos fantásticos dos seres vivos, bem como da importância das suas relações para os ecossistemas como um todo.  Sendo o jardim mais antigo de Portugal, ao observarmos e conhecermos os seus tesouros biológicos, proporciona esse sentido de se fazer a diferença e tornar o mundo melhor.

 

Essa é uma das finalidades do Projeto Despertar para a Natureza que se insere no Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória e nos eixos temáticos da Estratégia Nacional de Educação Ambiental proporcionando aos alunos desde o 2º ciclo ao secundário, um melhor conhecimento do território no sentido de o valorizar.

 

 

 

 

Subscreva a
nossa Newsletter

Se deseja receber informação atualizada sobre a LPN, por favor insira o seu email:

©2018 Liga para a Protecção da Natureza.

Powered by bluesoft.pt